Elizabete C. 31 anos

Elizabete C., 31 anos. Encontrei a Elizabete num conhecido hotel nas Furnas, onde trabalha como 'costumer service'. É natural de Nordeste, mas já está a viver nas Furnas desde que casou, há um ano atrás. Apreciando o contacto directo com o público, conta-me que gosta muito do que faz, que é "quase que uma Relações Públicas do hotel". "Gosto do que faço e tenho amor à camisola, mas este gosto pelo trabalho é também incutido na equipa e pela própria equipa, a maioria das pessoas que aqui trabalha é daqui das Furnas, temos todos um carinho especial por isto". Estando o hotel inserido num dos mais reconhecidos jardins das nossas ilhas, a Elizabete diz que é "um privilégio trabalhar num dos jardins mais bonitos da Europa, e esta cadeia de hotéis já ganhou imensos prémios e reconhecimento."
Independentemente do seu orgulho no trabalho que faz e representa, não era isso que se imaginava a fazer quando era criança e sonhava com o futuro: "eu queria ser estilista", conta entre risos, "mas foi uma coisa que me pareceu um pouco difícil no meio onde eu vivo. E depois quando fui para a Universidade, fui ver os cursos que tinham maior nível de empregabilidade... não foi uma escolha muito sentimental, foi mais estratégico e enveredei pelo Turismo". Quando lhe perguntei se estava bem com a sua decisão ou ainda sonhava em ser estilista, diz-me que "neste momento, em S. Miguel, não dava... temos de ser realistas se bem que tenho bastante jeito para o desenho mas considero-me uma pessoa feliz. Tenho saúde, tenho a minha família que amo acima de tudo. Acho que tenho tudo para ser feliz", diz com um sorriso. Obrigada pelo teu tempo, Elizabete, e que sejas sempre feliz. 

Furnas. 8 de Janeiro de 2016
Rui Soares


rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário