Isabel Adrião, 73 anos

Isabel Adrião, 73 anos - encontrei a Sra. Isabel numa feira de rua em Cascais, tem uma banca onde vende todo o tipo de coisas: loiças, santas, pratos, conjuntos de chá e outras velharias. "Vai-se vendendo mas o negócio está mal e só nos desenrascamos com os turistas" Perguntei-lhe como arranjava o seu stock "maior parte são coisas de casa, mas dão-me muita coisa e também compro outras para depois vender aqui" e disse "mas se não fosse isto e se ficasse em casa já não estava viva. Venho para a rua e vejo gente e aqui sou muito estimada e eu também estimo muito as pessoas". Nesse momento uma senhora também vendedora na feira aproximou-se e ofereceu-lhe uma laranja "está a ver aqui somos todos amigos". A Sra. Isabel é reformada "Trabalhei 18 anos na prisão em Tires e não é vergonha nenhuma é um trabalho bem digno. Gostei muito de lá trabalhar, fui muito bem tratada e também tratei muito bem quem lá estava". Nesse momento eu disse-lhe que tinha lá estado a fazer uma visita há um mês e que tinha fotografado uma reclusa com uma criança que vivia lá com a mãe e a Sra. Isabel disse: "Já não estou lá há 19 anos mas no meu tempo as crianças das detidas eram mais bem tratadas que as crianças cá fora". Perguntei-lhe se era casada "Infelizmente sou viúva, o meu marido morreu há 13 anos. Foi um processo muito difícil, morreu de doença cancerígena e foi muito duro ver um homem que vendia saúde morrer aos bocadinhos. Foi um ano muito muito difícil pois num mês perdi a minha mãe e o meu marido. Nós na vida passamos por coisas muito delicadas. Uns anos antes também estive muito mal pois tive um esgotamento nervoso" Não me quis dizer o que se tinha passado mas acrescentou "durante um ano tomei todo o tipo de comprimidos e até fiz uma cura de sono, um dia a minha directora viu-me e disse-me que se não fosse eu a falar-lhe ela não me reconhecia. Curei-me e nunca mais tomei nada, tenho pavor a comprimidos". Perguntei-lhe se tinha filhos "Tenho uma filha com 50 anos e já um neto com 18 anos". Depois falou-me que até aos 60 anos nunca tinha viajado "Isto a vida tem coisas boas também, nunca tinha saído de Portugal e depois de ficar viúva uma prima minha que vive em São Francisco convidou-me para lá ir e desde aí tenho lá ido quase todos os anos passar três meses. Ela é mais que minha prima direita é mais que uma irmã, fez-me muito bem naquela altura e somos muito muito amigas!" Agradeci a conversa e desejei-lhe boa sorte com o negócio e que este ano também conseguisse ir ter com a sua prima aos Estados Unidos. 

Casais, 27 de janeiro de 2016
Miguel A. Lopes


Um Estranho por Dia

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário