Manuel F. 66 anos

Manuel F. 66 anos. Quando conheci o Sr. Manuel, proprietário de um café junto ao mar, este não se mostrou muito interessado em participar do projecto, mas depois lá acedeu. Começa por me contar que foi "dos primeiros a vir para aqui para esta zona, há quase 22 anos. Não tinha aqui nada, nem praia nem nada. Mas é bom ver que o desenvolvimento chegou aqui”. Com uma vida repleta de histórias, diz-me que ”depois da quarta classe, foi 'pontapé no cú' e fui trabalhar para a terra aos 11 anos. O meu pai não tinha dinheiro para me pagar os estudos, era normal naquela altura e lá fui eu de pé descalço para a terra”. Foi também um dos muitos açoreanos que esteve na guerra do Ultramar: “estive dois anos na Guiné-Bissau, não se podia fugir aquilo, era o que havia, era a nossa vida... aos 19 anos embarquei para lá na Companhia de Atiradores 2754, e com muita sorte não morreu ninguém da nossa Companhia. Foi uma guerra tola, fomos obrigados, 'carne para canhão'. Mas os pensamentos ruins ficaram todos lá”, remata com um ar de satisfação. Casado há 42 anos e pai de três filhos, o Sr. Manuel também passou pelas provações de procurar melhores condições de vida fora da terra que o viu nascer: “Andei emigrado na América, tive um trabalho que ninguém gostava, fazer alumínio. Andar naquelas fábricas com um calor demasiado alto para um humano.... mas eu amanhei-me e aguentei 25 anos, foi a primeira empresa que conheci e ganhei gosto nela. 25 anos a fazer alumínios debaixo daquelas condições foi muito difícil, mas quando voltei trouxe tudo, os meus 3 filhos nasceram lá, mas trouxe tudo comigo.” Em jeito de despedida, diz-me que hoje em dia, tem de "se ir andando, não há outro remédio!, estamos aqui à conta de Deus, está tudo ruim, tudo muito complicado, mas não se pode esmorecer, é amanhar!” Mesmo assim, esperando tempos melhores, deseja que “quando vier coisa boa que venha para todos!”. Obrigado, Sr. Manuel, pelo seu tempo e tudo de bom!

Ribeira Grande, 12 de Janeiro de 2016
Rui Soares


rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário