Carlos Teixeira, 46 anos

Carlos Teixeira, 46 anos. Encontrei o Carlos entre os afazeres de reabrir o seu restaurante. É cozinheiro e proprietário do 'Maré Cheia', no Porto Formoso: "Com muito sacrifício e trabalho consegue-se levar tudo a bem, nasci aqui na zona Moinhos e desde pequeno que sempre vivi aqui nesta região da praia, no meu pequeno canto do paraíso". Abriu um restaurante porque sempre adorou cozinhar, mas antes disso foi nadador-salvador durante 17 anos, na mesma praia onde tem agora o seu estabelecimento porque se sente "muito ligado a esta zona". No que diz respeito aos seus cozinhados, diz-me cheio de assertividade: "a minha comida é toda boa!, eu não tenho preferências, mas o peixe é que me dá prazer, tanto para cozinhar como para comer. Um boca negra grelhado ou uma posta de lírio grelhado consola!!". O negócio corre-lhe bem, mas sendo uma região mais rural, só tem mais movimento durante o Verão. Assim, durante os 3 meses de Inverno em que sente a necessidade de fechar o restaurante, tem outras ocupações: "dedico-me à agricultura, cultivo muita batata, alhos, cebolas - tudo para ser usado no restaurante, tento usar tudo produtos vindos directamente da terra.” 
Sobre si entre gargalhadas diz-me: “Eu em pequeno dizia que queria ser bandido!” Mais seriamente conta-me que até à altura de ir para a tropa, dedicou-se à agricultura, e depois à "arte do mar", sendo que foi pescador e nadador-salvador. Hoje em dia, o seu restaurante é "os olhos da minha vida, para além da minha família. As low costs melhoraram muito o comércio, e esperamos sempre que melhore todos os anos”, conta ele. 
Em jeito de confissão diz-me: “sabes, ninguém é feliz todos os dias, existem momentos que somos felizes e outros não. Se fôssemos felizes todos os dias se calhar alguma coisa estava mal, com altos e baixos vamos vivendo a vida e sabes que mais?, é o mundo…o mundo está um bocado mau, mas aqui, este nosso mundo pequeno para mim é uma maravilha. É o melhor mundo que pode existir, são estas ilhas. Isto aqui representa a paz, temos o mar e o chilrear dos pássaros". Diz-me que espera estar reformado daqui a 10 anos, e que gostava muito que os filhos continuassem o seu negócio, "mas também gostava que fossem para universidade tirar um curso, no que quiserem, porque vamos estar sempre aqui para os apoiar. Nós trabalhamos para isso, para dar um futuro melhor aos nossos filhos.” 
Obrigado pelo seu tempo, Carlos, e eu vou passar no seu restaurante para comer a tal sopa de peixe! 

Porto Formoso. 3 de Fevereiro de 2016
Rui Soares


rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário