Filipe Alves, 19 anos

Filipe Alves, 19 anos. Faz parte de uma equipa de comerciais que trabalha para uma operadora de Comunicações. “Não é a minha área. Conclui o curso de informática, até com uma boa média, mas não é uma área fácil para encontrar emprego. Mas se aparecer uma proposta interessante, obviamente que irei ponderar e, felizmente, a minha chefe tem noção disso”. Sendo comercial numa empresa de Comunicações é inevitável que a conversa vá parar em determinados comerciais, especialistas em ‘vendas agressivas’. “Tenho noção que, às vezes, somos persistentes. Mas lá está, temos de trabalhar para que possamos ganhar algum ao fim do mês. Por exemplo, estou a trabalhar nesta área há cerca de sete meses e acho que apenas agora me considero comercial. Já tenho alguns clientes e, depois, tenho de trabalhar com eles”. Quis saber se havia algum segredo para se ser bom vendedor. “Acho que temos de ser muito observadores. Aposto bastante nisso. Algo que me permita encontrar uma forma de desbloquear a conversa. Mas o mais importante é cativar a pessoa. Caso contrário, fecham-nos a porta na cara. Fundamental também é não ser mal-educados mesmo quando o são connosco”. Filipe é natural de Ourém e, com um sorriso de orgulho, conta que irá morar em Leiria, a partir do próximo mês. Pergunto como foi a reacção da mãe quando lhe contou. “Nota-se que tenta persuadir-me a não o fazer. E o meu irmão mais novo também já tem insistido para eu não ir. Mas estou decidido e bastante ansioso. Quero a minha independência. Quero provar à minha mãe que cresci e que consigo”.

Leiria, 10 Fevereiro 2016
Rui Miguel Pedrosa


Rui Miguel Pedrosa

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário