Fernando Pedrosa Ferreira, 68 anos

Fernando Pedrosa Ferreira, 68 anos. “Ó amigo, o meu nome é fácil de decorar. Ora diga lá: ‘FPF- Federação Portuguesa de Futebol’. É simples ou não?”. Ambos sorrimos e não tive dúvidas em concordar. Uma simples queda de bicicleta, quando era mais novo, fê-lo ter de usar gesso. “Ora, como estava numa fase de desenvolvimento, o ter de usar gesso esse tempo todo fez com que a perna não desenvolvesse. Tenho um problema de perna que volta e meia tenho algumas dores. São aquelas dores agudas que parecem não passar”. Mas a história que quis contar foi a da pessoa com quem era casado. “Percebi que nos estávamos a afastar. Até que um dia estava a chegar a casa e a mulher tinha-lhe fechado a porta. As minhas filhas tinham cerca de 10 anos. No divórcio, elas ficaram com a ex-mulher e desde aí nunca mais quiseram saber nada de mim. Na altura fiquei sem dinheiro nenhum nas contas. Estive praticamente um mês sem roupa. Fiquei sem nada. Mais tarde tentei aproximar-me das minhas filhas, mas elas não querem. Até que desisti”. Agora, diz Fernando, que fica contente apenas por saber que elas estão bem na vida. 
Depois de o ouvir falar sobre esse episódio de vida, comecei a puxar pelo o assunto que me fez ir ter com ele. Praticamente todos os dias o vejo a recolher cartão para a sua carrinha. Até que desta vez o abordei. “Olhe, antigamente comprava o jornal todos os dias. E fui guardando tudo, em caixas, desde 1965 até 1974. Depois de casar, nas mudanças de casa, peguei em tudo e decidi ir vender no ferro-velho. E olhe... percebi que ganhava dinheiro com aquilo”. Desde aí que diversas lojas, de Leiria, o contactam directamente para ele ir lá recolher as caixas. “Sabe, em 1995 ainda conseguia 20 escudos o quilo. Agora dão-me no máximo 4 cêntimos por quilo. Isto mal dá para o gasóleo mas ao menos entretenho-me. Não paga a mão-de-obra. Mas irei faze-lo até me conseguir mexer”. Perguntei se o fazia por necessidade. “Não, felizmente não é. Se calhar você não entende. Mas apesar de tudo isto é um vicio. É que é mesmo!”.

Leiria, 6 Março 2016
Rui Miguel Pedrosa


rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário