Nuno Domingues, 35 anos e Diana Marques, 36 anos

Nuno Domingues, 35 anos e Diana Marques, 36 anos - O Nuno e a Diana são tal como eu amantes de fotografia, e foi pela fotografia que se conheceram. A conversa foi maioritariamente com a Diana "Tinha tido um desgosto de amor e não andava a pensar em amor, um dia vi as fotos tiradas pelo Nuno a paisagens e meti conversa com ele. Para surpresa minha ele não tinha nenhum curso de fotografia, posso dizer que me apaixonei primeiro pelas fotos que ele tirava e depois por ele. Conhecemos-nos pessoalmente, estamos juntos desde 2009 e casámos em 2012." Eles estavam com uma banca na feira das Almas em Lisboa, onde vendem máquinas fotográficas analógicas e acessórios: "Como disse, ele não tinha curso nenhum de fotografia e decidimos ir tirar um curso juntos e a partir daí ficamos mesmo viciados em fotografia analógica. Depois num aniversário ofereci-lhe uma máquina mas foi muito difícil encontrar o modelo, pois geralmente são máquinas muito antigas. Mais tarde aconteceu o mesmo com ele, quis-me oferecer uma máquina e não conseguia encontrar o modelo que eu gostava, e daí verificamos que poderia haver aqui uma necessidade em haver quem vendesse máquinas analógicas. O Nuno estava desempregado e só conseguia trabalhos precários, estávamos a começar uma vida juntos e assim ía ser muito complicado, então decidimos arriscar este negócio. Felizmente tem corrido bem." Perguntei-lhe que tipo de clientes têm "temos três tipos de clientes, os miúdos que não percebem nada mas querem aprender ou então compram e usam pelo style, os coleccionadores e os estrangeiros" Depois falei um pouco com o Nuno onde me disse "A Diana tem outro trabalho, mas eu estou nisto a tempo inteiro, durante a semana, pesquiso onde comprar máquinas, reparo algumas e preparo o material para as feiras que é o nosso forte. Também vendemos na internet mas nas feiras as pessoas podem ver e sentir as máquinas." Perguntei-lhe como é que numa era digital há mercado para o analógico "Em alturas de crise e excesso de consumo, há um regresso a tudo o que é retro, mais calmo, há sempre uma contra-tendência e isso vê-se nestas feiras onde há uma enorme procura a tudo o que não tenha marcas". Podem ver a sua página no face em Vintage Dream Cameras. 

Lisboa, 5 de março de 2016. 
Miguel A. Lopes


Um Estranho por Dia

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário