Sérgio Nunes, 41 anos

Sérgio Nunes, 41 anos - Encontrei o Sérgio junto ao Mosteiro dos Jerónimos no final da meia maratona de Lisboa. Quando o abordei estava cheio de frio, com a roupa de corrida e apenas embrulhado num plástico e um bocado chateado "Vou ser o seu estranho? Mas eu não sou estranho, quer dizer hoje aqui assim ao frio até pareço um estranho! Já estou aqui parado há mais tempo do que o tempo de corrida. Eramos um grupo de 10 amigos a correr e não sei como, mas perdemo-mos uns dos outros e agora estou à espera da minha mulher." Perguntei-lhe que tempo tinha feito "Hoje fiz 1h33,09, mas o meu recorde pessoal nesta distancia é 1h27,36". Disse-lhe que era um excelente tempo e perguntei-lhe desde quando corria: "Corro desde outubro de 2010, sempre pratiquei desporto desde a infância, ténis e futebol, mas depois de casar cheguei aos 84 quilos, a culpa não foi do casamento mas comia mal, muitos molhos, etc. Depois do meu filho nascer fui um dia jogar à bola com amigos e, não que fosse um craque da bola, mas sempre fazia as minhas fintas, mas nesse dia nem me mexia. Decidi que iria começar a correr e assim foi. Trabalho por turnos e depois de entrar às 23h e sair ás 7h da manhã, antes de ir dormir comecei a correr à volta de um ringue. Quem ía trabalhar ficava a olhar e devia pensar "olha ali o maluquinho a correr". Comecei com 5 minutos por dia e fui aumentando cada dia mais tempo. Ao principio ficava com os joelhos inchados por causa do peso, mas também mudei a minha dieta e nos primeiros meses comia tudo à base de saladas. Em março de 2011, em apenas 5 meses já pesava 65 quilos e participei na minha primeira prova. Desde aí nunca mais deixei de correr e mantenho este peso." No final da conversa agradeci-lhe e disse-lhe que já tinha falado com outras pessoas mas que não quiseram ser fotografadas , ambos concordamos que nada é por acaso e que se ele não tivesse ficado ao frio não teria sido o meu estranho. 

Lisboa, 20 de março de 2016
Miguel A. Lopes


Um Estranho por Dia

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário