Victor Moreira, 72 anos

Victor Moreira, 72 anos. Devo dizer que apenas tomei conhecimento que havia um reparador e afinador de pianos em Leiria, há pouco tempo. Desde então, prometi a mim mesmo que havia de conhecê-lo. Fui recebido com um largo e simpático sorriso e a história de vida fluiu naturalmente. Victor andava pela casa dos 12 anos quando começou a gostar de música, mais especificamente de piano. “Eu ouvia a minha vizinha a tocar e gostava. Então quis aprender a tocar piano. Mas não tinha nenhum. Na altura, ter piano não era para qualquer um. Era apenas para quem tinha bastante dinheiro”. Não desistindo da ideia, com 14 anos, começou a trabalhar numa importante casa de música, no Porto. E aí desenvolveu uma paixão enorme por pianos. “Toda a gente se impressionava porque aprendi a tocar músicas que nem conhecia. Bastava ouvi-las. Posso dizer que tinha o ouvido apurado”. Com 17 anos, aproveitando o local onde trabalhava, decidiu ter aulas de piano. E conta que aos 18 anos encordoou o primeiro piano. “Recordo-me bem que usei a música ‘Fado Hilário’, de Alberto Ribeiro, para afinar o piano. Tudo por ouvido! E ficou perfeitinho”, conta sorrindo. O seu talento não passou despercebido. Quando o patrão percebeu as suas qualidades, encaminhou-o para um curso, em Itália. “Onde apenas concluía o curso quem tivesse o ‘ouvido absoluto’. Ou seja, quem afinasse um piano, apenas com o ouvido”. Victor concluiu com sucesso. Regressou a Portugal, com o curso como mais-valia profissional. Em 1995, instalou-se em Leiria, onde não existia ninguém nessa área. Recorda que já realizou diversos trabalhos importantes. Mas o que o marcou mais foi ter reparado e afinado o piano do Vitorino de Almeida. “Na altura fiquei bastante surpreendido pelo contacto e o modo como aconteceu. Apenas recebi um telefonema, deviam ser cerca das 23h00, a dizer que ia chegar um piano, de exposição, valiosíssimo, que sabiam que apenas eu conseguiria mexer nele. Na altura achei que estavam a gozar comigo. Mas não estavam. O piano chegou mesmo. Esse foi um piano que me deu imenso gozo”, recorda Victor. 
Ainda ficámos à conversa sobre o funcionamento do piano, o que me deu a oportunidade de ouvir o senhor Victor demonstrar algumas músicas num piano que ele mesmo está a reconstruir.

Leiria, 05 Março 2016
Rui Miguel Pedrosa
  

rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Rui.
    Esta de parabéns pelo trabalho que fez, um obrigado fez-me prazer.
    Gostaria se possível o Rui meter este trato no facebook, de já um grande obrigado.

    Abraço Victor...

    ResponderEliminar
  3. Olá, eu vivo em Talatona e eu queria saber se você souber de qualquer um que faz a afinação do piano ? Obrigado.

    ResponderEliminar