Leonel Verdasca, 61 anos

Leonel Verdasca, 61 anos - Confesso que já conheço o Sr. Leonel há vários anos e é o único mecânico de máquinas fotográficas que conheço, até porque já fez algumas reparações em algumas máquinas minhas. "Comecei neste ramo em 1969 em Angola, o meu pai mandou-me ir trabalhar e comecei numa empresa onde havia esta área, comecei a gostar e aprendi com técnicos Japoneses. Depois vim para Portugal em 1975 por causa da guerra e toda a minha vida tenho trabalhado nisto" Perguntei-lhe se tinha ideia quantas máquinas e lentes já tinha arranjado "Umas boas centenas de milhares. Quando o digital apareceu tive receio que deixasse de ser preciso mas cá continuo. Antes as máquinas eram quase todas compostas por componentes mecânicos e quase sem electronica era tudo arranjado por mão de obra, agora as digitais são precisamente o contrário e maior parte das avarias são mais complexas e acaba-se por trocar mais componentes do que propriamente arranjar à mão. São muito menos fiáveis, há quem prefira não arranjar e trocar por novo." Perguntei-lhe se tinha alguma história engraçada "Um dia desenrasquei um Americano, a máquina dele avariou, ele precisava sem falta dela e ficou a tarde toda a ver-me a arranjar-lhe a máquina, no fim ficou tão contente que me convidou para ir trabalhar para os Estados Unidos, na altura não fui porque já tinha cá família constituída, mal eu sabia que agora a minha filha vive e trabalha lá. Também já cheguei a fazer diretas para arranjar máquinas".

Lisboa, 18 de Abril de 2016
Miguel A. Lopes



Miguel A. Lopes

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

1 comentário:

  1. Olá Miguel Lopes, interessante artigo.
    Como poderei contactar o sr. Leonel Verdasca para efeitos de limpeza de lentes?
    Muito obrigado
    Gonçalo Ruivo (gruivo.indo@gmail.com)

    ResponderEliminar