António Tavares, 61 anos

António Tavares, 61 anos. Numa conversa rápida durante uma ida ao Congresso de Sopas de Tomar encontrei o senhor António, que há 5 anos que se desloca de propósito de Vale de Cambra para poder deliciar-se com uma variedade de sopas difícil de encontrar com frequência. “Não tenha dúvida que venho de propósito. Posso dizer que prefiro uma boa sopa do que uma vitela assada”, conta sorrindo, mostrando a sua convicção em poder apreciar um bom prato de sopa. António responsabiliza a abundância de alimentos que existe actualmente pelo pouco interesse dos jovens na sopa. “Preferem aquela comida toda plástica e industrial”, salienta, aproveitando a oportunidade para mostrar a sua indignação sobre a juventude. Descreve que aprecia imenso uma sopa rica e, se for preciso, até a come com um garfo. “Na minha altura, éramos 12 irmãos e não havia muita fartura. A sopa era um alimento comum lá em casa. Às vezes chegava da escola e já nem havia sopa. Se calhar por isso é que comecei a apreciar sopa”, recorda António. Faz uma pausa no discurso e diz: “Costumo dizer que não passei fome. Mas olhe que a fome passou por mim”.

Tomar, 7 Maio 2016
Rui Miguel Pedrosa


Rui Miguel Pedrosa

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário