Nádia Horta, 25 anos

Nádia Horta, 25 anos. A Nádia foi militar durante 7 anos: "Foram tempos óptimos, no RG2 dos Arrifes. Era atiradora, mas nunca pensei em ir para guerra!" conta logo de início. Optou pela vida militar porque a escola e os estudos não a cativavam, e também porque queria ser mais independente. "Olha, aconteceu! Foi aos 18 anos, as coisas de adolescência” diz a rir, “mas foi mesmo um óptimo tempo da minha vida e fui sempre muito bem tratada”, reforça ela. Após o término do seu contrato, infelizmente viu-se no desemprego e sem saber bem o que fazer. Mas este percalço não foi visto como um problema e sim como uma oportunidade; a sua "veia" empreendedora veio ao de cima e decidiu investir num estabelecimento comercial: “acho que sou uma mulher de garra e luta, e quando é para começar, é para se acabar! Como estava no desemprego, submeti um projecto e investi aqui neste café. Acho que estou pronta para dar de mim 100% para que isto dê certo... e se calhar até 200%”, diz-me determinada. Assim, aos 25 anos, a Nádia é proprietária do Nana Coffee, na cidade da Ribeira Grande. Num jeito muito descontraído, conta que sempre deixou a vida correr ao seu compasso, sem muito stress: "E graças a Deus que sou assim, para quê stressar? Não é preciso, dá cabelos brancos e rugas!". Por agora, acha que tem tudo aquilo de que precisa, família, amigos, saúde e emprego, e diz com um sorriso que sonha com uma cadeia de restaurantes e cafés, daqui a 10 anos. Por fim, diz-me: “o que gostava mesmo, mesmo, era de ter um filho. Acho que é a única que quero mesmo para mim. Mas ainda tenho tempo!”. Obrigado e boa sorte com tudo, Nádia.

Ribeira Grande 12 de Maio de 2016
Rui Soares


rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário