Rita Ferreira, 26 anos

Rita Ferreira, 26 anos. Conheci a Rita mesmo em frente à sua nova paixão: um Solar de 1913. A Rita trabalha na área do Turismo e esteve durante muito tempo a viajar e a trabalhar por vários sítios do mundo . O ano passado, regressou a Lisboa e começou a ajudar o seu irmão, que é proprietário de hostels, e notou que havia "muita projecção sobre os Açores", de modo que entendeu que seria bom investir nas ilhas.“Viver mesmo, já vivi em em Florianópolis, em Kuala Lumpur, em São Tomé e Principe e em Timor. Todos os sítios são diferentes, todos eles fizeram parte da minha evolução, e agora são os Açores. Portanto tudo isto vem complementar uma história e uma evolução pessoal e viajar para mim é mesmo isso, alargares o teu horizonte absorvendo as coisas novas. Quando tu viajas, quando vês algo que é desconhecido, acaba por ser um espelho do teu ideal de realidade, consegues-te envolver, conhecer a cultura, e portanto nunca há um país melhor do que o outro, todos eles apareceram na altura certa. E portanto agora cá estou eu, na Rua da Boavista, num hostel ainda sem nome.” Conta que, para si, os Açores sempre foram um sítio bastante especial, para além de, à semelhança dos outros sítios onde viveu, ser uma ilha. Tendo agora este projecto por cá, a sua estadia em S. Miguel é como que a junção de um sítio para para viver com um investimento, junto com o seu irmão e mais um colega; "Agora temos uma equipa engraçada, começamos os 3 à procura de casas dentro do nosso modelo de negócio e os 3 quase que encontramos a mesma casa. Isto foi em Setembro, e o meu irmão veio cá, e esta casa é um excelente negócio. Esta casa tem muita coisa boa, tem o papel de parede ainda antigo, o jardim que é lindíssimo...", diz ela encantada. Foi em Novembro que veio pela primeira vez, e, embora as coisas não estejam a acontecer com o ritmo que gostaria, tem sido "uma aventura espetacular". Por outro lado, o compasso mais lento está a permitir-lhes que vão conhecendo as pessoas, os vizinhos, absorvendo o dia-a-dia. "Eu acho que desde o primeiro dia me sinto em casa”, disse-me com um sorriso enorme e sincero. Obrigado pela visita Rita e boa sorte!

Ponta Delgada. 8 de Maio de 2016
Rui Soares


rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário