Carlos Pacheco, 60 anos

Carlos Pacheco, 60 anos. Quando conheci o Sr. Carlos Pacheco, ele apontou logo que era um homem de poucas palavras; “eu não sou bom para estas coisas” dizia ele, mas aceitou participar mas que estava com pressa. “Tenho uma vida como um qualquer emigrante, fui trabalhar no duro para conseguir dar uma melhor vida a minha família..” 
Quase num fôlego contou-me que: “Venho cá quase todos os anos, sou operador de maquinas numa fábrica já há 37 anos, nasci cá, fui de cá para lá, depois da tropa e casei lá, com uma açoriana, eu trabalhava cá, tinha um restaurante, se calhar se ficasse cá antes de embarcar, eu ainda continuava a ter um restaurante, ou uma casa de pasto” diz ele sem se arrepender da mudança, e explicou-me porque: “A minha vida mudou completamente, muitas horas de trabalho, muito sacrifício, mas compensou bastante mas espero que daqui a 3/4 anos já esteja reformado, passar metade do tempo cá e lá, uma pessoa nunca consegue fugir das suas raízes, dou muito valor ao sitio de onde venho, tenho todo o orgulho de vir de umas ilhas e conseguir vingar no mercado do trabalho e agora, espero ter saúde apenas para viver o resto dos meus dias”. Obrigado Sr. Carlos e que tenha uma óptima reforma. 

Ponta Delgada. 16 de Junho de 2016
Rui Soares


rui soares

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário