Filipe Coelho, 23 anos

Filipe Coelho, 23 anos. Numa tentativa de tentar trazer um dos assuntos da actualidade ao nosso projecto decidi ir procurar de um grupo de jogadores de Pokemon. O que, como devem calcular, não foi difícil de encontrar. Quando abordo o grupo de amigos do Filipe e depois de me confirmarem que estavam a jogar, o Filipe aceitou falar. É militar da Força Aérea e, juntamente com alguns amigos, aproveita as saídas da Base de Monte Real para ir ao centro da cidade de Leiria apanhar os famosos bichinhos virtuais. "Comecei a jogar porque cresci com esse jogo. Na altura, era miúdo e joguei bastante. E agora que ele voltou quis logo experimentar", conta, para justificar o motivo que o fez recordar um pouco a sua adolescência. "E, agora, é bom para me entreter e sair com os amigos. E, por outro lado, os 'nerds' mais fanáticos devem estar a adorar. Outra coisa boa que o jogo está a fazer, para os novos fãs e mais novinhos, é obrigá-los a sair de casa e andar. Portanto, no geral não considero uma coisa má. É uma boa cena", diz, sorrindo. Explica que o fanatismo em excesso não é uma coisa boa e compara esse fanatismo com o que existe no futebol e que resulta em casos que não se percebem. E, com entusiasmo, conta que em Agosto irá fazer um interrail de 22 dias, em Itália, e acredita que a sua maior adversidade irá ser a adaptação à alimentação. "Vai ser muito fixe. Mochila às costas e, na maioria das vezes, a dormir no comboio. Só espero que haja wi-fi em muitos sítios porque vou querer apanhar pokemons e também quero aproveitar para poder subir de níveis", confessa sorrindo.

Leiria, 27 Julho 2016
Rui Miguel Pedrosa


Rui Miguel Pedrosa

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário