José Inácio

José Inácio - quando abordei o Sr. José e lhe perguntei a idade disse-me a sorrir: "não lhe digo amigo, não posso revelar a minha idade senão depois as minhas amigas ficam a saber, mas tenho mais de 50! O Sr. José é o comandante da caravela Vera Cruz que é uma réplica exata das antigas caravelas Portuguesas que foram usadas pelos Portugueses no período dos Descobrimentos nos séculos XV e XVI. "Já ando nisto há trinta anos. Primeiro na Boa Esperança e agora nesta. Na Boa Esperança fomos aos Estados Unidos e ao Brasil e chegamos dessa viagem na véspera da inauguração do Expo 98. Essa caravela era para ser vendida aos Brasileiros mas eles não se chagaram à frente com o dinheiro e acabou por ser o turismo do Algarve a ficar com ela." Perguntei-lhe se tinha alguma aventura destes trinta anos de mar que me quisesse contar "Não tenho assim grandes histórias para contar, algumas tempestades e mau tempo mas nada de especial porque hoje em dia sabe-se com antecedência onde e quando vai estar mau tempo, mas já dei uma volta ao Mundo de barco e fui à Antártida que foi uma das mais maravilhosas viagens que fiz. Fomos de Lisboa até Cabo-Verde, depois Salvador no Brasil e descemos até Ushuaia na Argentina. Aí em Ushuaia tivemos de encher os depósitos do barco com combustível anti-congelante próprio para baixas temperaturas e rumámos para a Antártida onde estivemos cerca de 20 dias. Foi o lugar no Mundo onde senti que o tempo parou e onde senti mais paz. Aqui nas caravelas o que é mais significativo é que por aqui já passaram várias gerações e é giro voltar a ver pessoas que passaram aqui em miúdos e agora vêm cá já com os filhos. Esta caravela é da Associação Portuguesa de Treino de Vela a Aporvela e destina-se a possibilitar o treino de vela e experiências de mar maioritariamente a jovens e neste momento temos cá jovens que participam no programa Ciência Viva em que realizam várias experiências ligadas ao mar. Ando aqui por puro gosto pela vela. A caravela estaria parada se tivéssemos de pagar uma tripulação mas não vivemos de subsídios do estado. Recebemos sim apoios pela organização destas viagens para jovens e pela participação em eventos como o evento que houve agora dos Tall Ships, valores que vão dando para a manutenção da Caravela e para o combustível" No final da nossa conversa o Sr. José teve de ir atracar a caravela e perante ordens aos seus marinheiros disse-me: "isto tem de ser feito com um cuidado extremo, veja, são 100 toneladas de madeira e qualquer toque mais forte faz sempre muitos estragos, tenho de pensar que tenho de a fazer tocar como se o casco fosse um ovo que não se pode partir!"

Lisboa, 9 de Agosto de 2016
Miguel A. Lopes


Miguel A. Lopes

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

1 comentário:

  1. Lindo!!! como este Senhor tem orgulho em fazer parte de uma equipa de jovens, saber ensinar e dizer o que lhe vai na Alma. Parabéns.

    ResponderEliminar