Ruben Pinto, 37 anos

Ruben Pinto, 37 anos. O que me levou a falar com o Ruben foi que, provavelmente, ele foi a primeira pessoa que vi, em Leiria, a andar de skate e que já fazia umas manobras que impressionavam qualquer pessoa. O Ruben nasceu em Lisboa e foi aí, perto de casa, que viu uns miúdos que costumavam andar de skate. “Recordo-me que o meu primeiro skate foi-me dado pelo meu irmão.Na altura, ele tinha-me levado a ver uma demonstração de skaters e percebeu que eu tinha gostado. Acabou por me oferecer um. E olha, desde aí começaram as brincadeiras e nunca mais parei. Só parava quando me magoava”, diz, Ruben. Conta que quando veio morar para Leiria já havia uns “spots” para andar de skate. Mas, sem dúvida, que, no início, a maior dificuldade que havia era arranjar material de skates e acabava sempre por ter de se deslocar a Lisboa. “Conheci alguns miúdos que também andavam e fui muitíssimo bem recebido. Acho que a minha paixão pela cidade começou a partir desse momento. Apesar de, no início da mudança, querer regressar para Lisboa, acabei por entranhar o gosto pela cidade e nunca mais pensei em sair daqui. E, ao longo do tempo, fomos fazendo tudo para que Leiria viesse a ser um sítio de paragem obrigatória para skaters. E, felizmente, hoje já se pode considerar isso mesmo”, revela. Revela que ao longo dos anos que praticou skate, chegou a participar em provas e até ganhou alguns prémios na sua categoria. Mas as lesões fizeram-no abrandar na atividade. “Tinha cerca de 23 anos quando dois médicos me disseram que não podia andar mais de skate. Na altura, custou-me a aceitar isso. Mas, inevitavelmente, acabei por encostar um bocado. E foi nessa altura que comecei a pensar seriamente em dar aulas. Foi uma das formas que arranjei para continuar ligado a esse mundo. Agora dou aulas e também costumo fazer parte do júri em provas de competição. Sabes, não vejo o skate como um desporto. Para mim, é um estilo de vida”, acrescenta.

Leiria, 1 Setembro 2016
Rui Miguel Pedrosa


Rui Miguel Pedrosa

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário