Vasco Rodrigues, 58 anos

Vasco Rodrigues, 58 anos. Encontrei o Sr. Vasco no Faial, a pescar, com um ar tão satisfeito que não consegui ir falar com ele. Começou por me dizer que se reformou cedo: “sou reformado da Guarda Fiscal, da GNR, e agora é que estou aproveitar a vida, porque reformei-me aos 51 anos”. “Moro aqui no Faial, mas sou dali, daquela ilha ali, do Pico, mas andei por vários lados, na fronteira de Espanha, aeroportos, São Miguel e acabei por me fixar aqui no Faial já há 20 e tal anos”, disse ele, quando fomos interrompidos pelo puxar da linha, mas infelizmente para o Sr. Vasco não era nenhum peixe. Contou-me um pouco da sua vida, sempre com um olho na cana a ver se o peixe mordia: “Bem a minha vida começou por ser no mar, quando era miúdo, tinha eu 14 anos, andei na faina do Atum, mas estive na escola de pesca primeiro, dos 12 aos 14 anos. Tive uma vida de trabalho mas fez-se, trabalhei uma vida inteira mas estou muito feliz com a minha vida, consegui o queria acho eu, eduquei os meus filhos e agora, olha, é esperar não ter muitas doenças e passar o resto dos meus dias a aproveitar a vida. É pena que o governo do PSD nos tivesse tirado tanto dinheiro da reforma mas aguentamos”. Em forma de conclusão, quando lhe perguntei sobre o que espera daqui para a frente, respondeu-me com um “agora, cada dia é mais um dia até a morte” disse-me ele. Despedimo-nos, sem antes, mais um peixe “brincar” com ele e não morder o anzol. Tudo de bom para si sr Vasco. 

Horta, 17 de Setembro de 2016
Rui Soares


Rui Miguel Pedrosa

Retratos e histórias por Miguel A. Lopes / Rui Soares / Rui Miguel Pedrosa / João Porfírio .

Sem comentários:

Enviar um comentário